Apenas uma "listinha" de notáveis pensadores, filósofos e cientistas monoteístas, deístas e panteístas.

/
1 Comments

Muitas vezes eu me deparo com pessoas dominadas pela ignorância e pelo ego afirmando que os homens que creem em Deus nunca fizeram nada pela ciência ou pelo mundo, pois afirmam categoricamente que a fé está em conflito com a ciência, isto é, são como água e óleo: não se misturam. Isto é simplesmente uma bobagem sem tamanho! A pontifícia Academia de Ciências do Vaticano, por exemplo, tanto contribuiu com a ciência que possui quase 30 prêmios Nobel! A fé e a ciência jamais estarão em conflito! Primeiramente, devemos ter em mente que existem vários planos de discussão, entre eles o científico e o lógico. Para uma discussão ser realizada no âmbito científico, ela deve NECESSARIAMENTE cumprir alguns pré-requisitos, como o empirismo, a testabilidade, a capacidade de se reproduzir os resultados, o controle das variáveis e mais alguns outros requisitos que não precisam ser listado nesse artigo. No entanto, existem outras discussões que vão além do campo científico, pela falta de algum de seus requisitos e são realizadas no campo filosófico (exemplos tradicionais: discussões morais, estéticas, existência de outras mentes, validade universal das leis da física, etc). A questão da existência de Deus é exatamente uma dessas discussões que não podem ser realizadas no âmbito científico. Como Deus, por definição, é transcendente a natureza, então a ciência não pode emitir um juízo de valor sobre sua existência, pois o requisito “empírico (material – Deus é imaterial)” fica faltando. A partir daí, se quisermos discutir a existência de Deus, só o poderemos fazer logicamente (como os argumentos da causa primária, cosmológico kalam, fine tunning, ontológico, moral absoluta, et cetera).

Ainda sim, há aqueles que afirmam que a ciência é o único meio de se chegar a verdade! Bom, vejamos se isso é verídico: Basicamente, o que o cientificista faz é definir logicamente… que definições conseguidas a partir da lógica não são válidas. Non-sense puro, além de configurar uma paralaxe cognitiva. Para piorar, o fato de “não existirem evidências empíricas da existência de Deus” (coisa que qualquer besta sabe), não valida o ateísmo, se o considerarmos como negação da existência de qualquer divindade. Mostra, apenas, que devemos ficar neutros na questão. Não há nada de “se não há provas, a Ciência considera que não existe”. Considera-se que NÃO SE SABE se existe ou não, não que “não existe”. A própria Academia Nacional de Ciência dos Estados Unidos fez um pronunciamento sobre isso:

"Na raiz do aparente conflito entre alguma religiões e a evolução está uma compreensão equivocada da diferença crítica entre o modo de conhecimento religioso e o científico. As religiões e a ciência respondem a perguntas diferentes sobre o mundo. Se existe um propósito no universo ou um propósito para a existência humana, essas não são perguntas para a ciência. O modo de conhecimento religioso e o científico representaram, e continuarão a representar, papéis significativos na história humana… A ciência é uma maneira de conhecer o mundo natural. Ela se limita a explicar o mundo natural através de causas naturais. A ciência não pode dizer nada acerca do sobrenatural. Se Deus existe ou não é uma questão sobre a qual a ciência é neutra."

Ou seja: a Academia Nacional de Ciências CONCORDA com a avaliação de que Deus não é um assunto científico. No que ela está corretíssima. Então, fica evidente que não há conflito algum entre ciência e religião. Porém, algum neo-ateu, em um último suspiro, pode alegar:

- Ah, mas a maioria dos cientistas são ateus! Não deve haver muitos cientistas cristãos! E se existirem, são poucos e realizaram atos de pouca ou nenhuma expressão!

Um grotesco erro! Os maiores cientistas da historia foram cristãos (não estou dizendo que os cientistas ateus são piores) e realizaram maravilhas em prol de nossas vidas. A Igreja Católica, por exemplo, é a responsável direto pela criação de Universidades e Hospitais como conhecemos atualmente. Francis Collins(cristão), como outro exemplo, é um dos cientistas mais respeitados da atualidade, bem como o responsável direto por um dos maiores projetos já realizados na área das ciências biológicas: O Projeto Genoma Humano, que consistiu num esforço internacional para o mapeamento do genoma humano e a identificação de todos os nucleótidos que o compõem, sequenciando, um a um, os genes que codificam as proteínas do corpo humano e também aquelas sequências de DNA que não são genes!

Sem mais delongas, eis a lista de alguns notáveis pensadores, filósofos e cientistas monteístas, deístas e panteístas que realizaram inúmeras contribuições ao mundo:

  • Abu al Hassan Muhammad ibn Yusuf al-Amiri
  • Agostinho de Hipona
  • Albert Einstein
  • Alberto Colunga y Cueto
  • Alessandro Volta
  • Alexis de Tocqueville
  • Al-Farabi
  • Alfonso Ropero
  • Al-Ghazali
  • Al-Haddad
  • Alister McGrath
  • Al-Kindi
  • Allameh Tabatabaei
  • Al-Razi
  • Alvin Plantinga
  • André Siegfried
  • Anselmo da Cantuária
  • Antoine Goudin
  • Antonin Dalmace Sertillanges
  • Antonio cruz
  • Antony Hewish
  • Aristóteles
  • Arno Allan Penzias
  • Arnold Joseph Toynbee
  • Arthur Holly Compton
  • Arthur L. Schawlow
  • Augustin Louis Cauchy
  • Avicena
  • Blaise Pascal
  • C. S. Lewis
  • Carlos Chagas Filho
  • Charles Babbage
  • Charles Bells
  • Charles Darwin
  • Charles Hartshorne
  • Charles Townes
  • Desiderio José Mercier
  • Dinesh D’Souza
  • Duns Scotus
  • Edmund Burke
  • Enrique Dussel José Miguel Ibáñez Langlois
  • Erasmo de Roterdã
  • Erwin Schorodinger
  • Etienne Gilson
  • Evempace
  • Félicité Robert de Lamennais
  • Francis S. Collins
  • François Houtart
  • Freeman Dyson
  • Friedrich Dessauer
  • Friedrich Heinrich Jacobi
  • Friedrich Rückert
  • Friedrich Schleiermacher
  • G. K. Chesterton
  • George Berkeley
  • George Mendel
  • George Washington Carver
  • Georges Cuvier
  • Georges Lemaître
  • Gottfried Wilhelm Leibniz
  • Gottlob Frege
  • Hans Küng
  • Hegel
  • Henri de Lubac
  • Herbert George Wells
  • Ibn Hazm
  • Ibn Jaldún
  • Immanuel Kant
  • Isaac Newton
  • James Clerk Maxwell
  • James Prescott Joule
  • James Young Simpson
  • Johanes Kepler
  • John A. Mackay
  • John Bartram
  • John Blanchard
  • John Flamsteed
  • John Lennox
  • John Lennox
  • John Locke
  • John Mitchell
  • John Polkinghorne
  • John William Strutt, Lord Rayleigh
  • Jon Sobrino
  • Jonh Barrow
  • José Antonio Sayés
  • José María Cabodevilla
  • José Míguez Bonino
  • Josef Pieper
  • Josph Lister
  • Juan Escoto Erígena
  • Julián Marías
  • Justus von Liebig
  • Karol Józef Wojtyła
  • Karl Ernst von Baer
  • Karl Friedrich Gauss
  • Leonhard Euler
  • Lord Acton
  • Louis Agassiz
  • Louis Pasteur
  • Luis González Carvajal
  • Maimónides
  • Mario Beauregard
  • Martin Buber
  • Maurice De Wulf
  • Max Planck
  • Michael Faraday
  • Michel Quoist
  • Muhammad Nasiruddin al-Albani
  • Mulla Sadra
  • Nasr Hamid Abu Zayd
  • Nevill Mott
  • Nicholas Wolterstorff
  • Nicolás de Cusa
  • Nicolau Copérnico
  • Nicolaus Steno
  • Norman Geisler
  • Ockham
  • Osvaldo Lira
  • Owen Gingerich
  • Paul Davies
  • Paul Durack
  • Paulo de Tarso
  • Peter Kreeft
  • Phillip de Melanchtron
  • Pierre Teilhard de Chardin
  • Platão
  • Ravi Zacharias
  • Réginald Garrigou Lagrange
  • René Descartes
  • Robert Boyle
  • Roberto Landell de Moura
  • Rodney Holder
  • Roger Bacon
  • Roger Penrose   
  • Romano Guardini
  • Ruy Barbosa de Oliveira
  • Samuel Morse
  • Saul Kripke
  • Sócrates
  • Soren Kiekergard
  • Spinoza
  • Stephen Hales
  • Thomas Reid
  • Tocqueville
  • Tomás de Aquino
  • Vernon J. Bourke
  • Walter Heinrich Heitler
  • Werner Heisenberg
  • Wernher von Braun
  • Wilhelm von Humboldt
  • William A. Dembski
  • William Daniel Phillips
  • William Herschel
  • William Lane Craig
  • William Paley
  • William Ramsay
  • William Thomson
  • Wolfhart Pannenberg

Conclusão e considerações finais:

São poucos, não? Enfim, creio que esta besteira proclamada por pessoas mal-intencionadas esteja mais do que refutada. Sugiro que apreciemos e conheçamos mais cada um deles para que possamos entender cada uma de suas realizações e trabalhos que, sem dúvidas, mudaram e continuam mudando o mundo.


You may also like

Um comentário:

  1. http://direitasja.com.br/2012/04/07/por-que-eu-nao-sou-um-neo-ateu/
    O neo Ateísmo é um positivismo "plus".
    Também compartilho a opinião deste ateu.

    ResponderExcluir

Total de visualizações de página

Razão em Questão. Tecnologia do Blogger.